» : Estudo histórico e geográfico de Mormo no Brasil e no Mundo: 10 anos de história

 

1- O projeto

A pesquisa é realizada pelo acadêmico Eduardo Graciano Mendonça da faculdade Medicina Veterinária/UniRV, sob orientação da profa Dra. Juliana O. R. Nunes. O projeto é um estudo epidemiológico sobre o mormo. Uma enfermidade geralmente fatal que acomete seres humanos e animais, principalmente os equídeos. Essa enfermidade possui importância mundial, sendo uma enfermidade de notificação obrigatória. Todos os países membros da OIE (Organização Mundial de Saúde Animal), como o Brasil, devem enviar mensalmente à comunidade internacional relatórios sobre o mormo. Animais acometidos não podem ser tratados, sendo obrigatória a eutanásia e a notificação à OIE.
O Código Zoossanitário Internacional prevê a restrição no movimento de equídeos a partir de regiões endêmicas. E a enfermidade é endêmica no Brasil e traz sérios prejuízos, uma vez que o Brasil possui o terceiro maior rebanho de equinos do Mundo, e o maior rebanho da América Latina. Somados aos muares e asininos são oito milhões de cabeças, movimentando R$ 7,3 bilhões, somente com a produção de cavalos. Há uma grande preocupação principalmente com a realização das Olimpíadas de 2016 no Brasil, em que o hipismo poderá ser prejudicado, por também haver casos da doença na cidade que sediará, o Rio de Janeiro/RJ.

2- Objetivos 

O objetivo do projeto é realizar um diagnóstico da situação do mormo em equídeos no contexto mundial e nacional ao longo de 10 anos de história registrada. Para tal, será feito um levantamento de dados epidemiológicos do mormo em equídeos, em todos os países membros da OIE e em todos os estados brasileiros onde os casos de mormo animal já foram notificados. O projeto também fará um levantamento das medidas tomadas por parte do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para garantir o controle da região brasileira afetada, e a possível erradicação. Além disso, o projeto pretende ainda fazer um levantamento das informações oferecidas pelas diversas fontes jornalísticas do Brasil e, comparar com as informações dos relatórios oficiais enviados à OIE para avaliar a transparência brasileira diante dos órgãos internacionais.
Apesar dos esforços dos órgãos competentes, o Brasil não conseguiu erradicar a enfermidade.

3- Resultados esperados

Sendo assim, o projeto pretende elucidar a questão através do conhecimento da prevalência no âmbito mundial e nacional do mormo nos animais, e atualizar as informações para todos os profissionais envolvidos na área de saúde humana e animal.

4- Contribuições e reflexões do projeto

A epidemiologia é o estudo voltado para a compreensão do processo saúde-doença no âmbito de populações, aspecto que a diferencia da clínica, que tem por objetivo o estudo desse mesmo processo, mas em termos individuais. Preocupa-se com o desenvolvimento de estratégias para as ações voltadas para a proteção e promoção da saúde, seja ela tanto das populações humanas quanto das populações animais. Por ser um instrumento de políticas, é através da epidemiologia que foi possível o desenvolvimento dos Programas Nacionais de Controle e/ou Erradicação de Enfermidades na Saúde Animal.
Somente através de estudos epidemiológicos há a possibilidade de se planejar o controle e/ou erradicação de enfermidades. Mas, além da importância do planejamento para o desenvolvimento de programas eficazes, há a necessidade de avaliar periodicamente os efeitos reias de tais programas para que ocorra constantemente tomada de decisões e reformulação. As doenças são dinâmicas e as estratégias para seu controle também devem ser.
Dessa forma, o projeto contribuirá com a avaliação da estratégia estabelecida pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento junto ao Serviço de Defesa Sanitária Animal para o controle e erradicação do mormo nos equídeos e atualizar as informações para todos os profissionais envolvidos na área de saúde humana e animal.
 

NOSSOS CAMPUS
Campus Rio Verde
Fazenda Fontes do Saber,
Caixa Postal 104
Cep: 75901-970 - Rio Verde - Goiás Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h - 19h às 22h
Campus Aparecida
Avenida das Palmeiras, chácaras 26 E 27,
Jardim dos Buritis
CEP: 74923-590
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h

Campus Caiapônia
Av. Ministro João Alberto, 310,
Nova Caiapônia, CEP: 75.850-000
Caiapônia - Goiás
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h - 19h às 22h
Campus Goianésia
Rua 12, nº 288, Setor Sul, Prédio Sec. Mun. de Educação, 2º andar
Goianésia - Goiás
Cep: 76.380-000
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h