» Quantidade e qualidade de água percolada no solo após sucessivas aplicações anuais de dejetos de suínos na cultura do milho

  

1- O projeto

O presente projeto é realizado pela acadêmica Isabella Pereira Carrijo do 9º período do curso de Agronomia, sob a orientação da professora Dra Mariana Pina da Silva e almeja monitorar as áreas que recebem continuamente os dejetos líquidos de suínos. O experimento será conduzido em Latossolo Vermelho distroférrico na área experimental destinada ao projeto de uso de resíduos orgânicos na agricultura, na Fazenda Fontes do Saber, na Universidade de Rio Verde. A área experimental é constituída por três tratamentos com três repetições, totalizando nove parcelas experimentais, sendo que cada lisímetro constitui uma parcela. Os tratamentos serão: 50 m3 ha-1 e 200 m3 ha-1 de DLS e adubação mineral. O plantio da cultura do milho será efetuado após aplicação dos dejetos, em sistema de plantio direto. No período chuvoso (novembro/2015 a abril/2016), serão realizadas medições da água percolada em cada lisímetro e análises dos teores de nitrogênio (NH4+, N-NO3-) potássio, cálcio, magnésio, cobre, zinco e manganês em função das precipitações e tratamentos.

2- Objetivos 

Avaliar a quantidade e a qualidade da água percolada em Latossolo Vermelho cultivado com milho com aplicação de dejetos líquidos de suínos durante a safra 2015/2016.

3- Resultados esperados

O experimento viabilizará o fornecimento de resultados que orientem a otimização do uso de dejetos líquidos de suínos pelos produtores rurais da região do município de Rio Verde. Com a orientação da dose de dejeto de suíno mais adequado para a cultura do milho, podem-se minimizar custos de produção, bem como avaliar os possíveis impactos ambientais com a determinação dos teores de N na água percolada. Os resultados obtidos trarão importantes informações para as comunidades acadêmicas e para a sociedade como um todo. O que poderia ser considerado um problema ambiental, pode tornar-se fonte de renda para os produtores com aproveitamento dos recursos orgânicos naturais de forma racional. Com a obtenção dos resultados serão avaliados os aspectos socioambientais e as ferramentas sustentáveis das áreas que recebem aplicações sucessivas de dejetos de suínos. Consequentemente serão obtidos resultados importantes para a Região, para o estado de Goiás e para todo território nacional que utiliza este insumo na agricultura.

4- Contribuições e reflexões do projeto

Com o desenvolvimento do projeto será possível fornecer resultados que orientem a otimização do uso de dejetos líquidos de suínos pelos produtores rurais que utilizam dejetos de suínos como fornecedores de nutrientes em lavouras. Os resultados informarão os possíveis impactos ambientais, trazendo importantes informações para as comunidades acadêmicas. 
A acadêmica com desenvolvimento do projeto de iniciação científica além de aprimorar seus conhecimentos teóricos, tem a possibilidade de aprender técnicas de laboratório e práticas de campo, permitindo conectar as diversas áreas do apreendizado.
 
 

  

 


NOSSOS CAMPUS
Campus Rio Verde
Fazenda Fontes do Saber,
Caixa Postal 104
Cep: 75901-970 - Rio Verde - Goiás Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h - 19h às 22h
Campus Aparecida
Avenida das Palmeiras, chácaras 26 E 27,
Jardim dos Buritis
CEP: 74923-590
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h

Campus Caiapônia
Av. Ministro João Alberto, 310,
Nova Caiapônia, CEP: 75.850-000
Caiapônia - Goiás
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h - 19h às 22h
Campus Goianésia
Rua 12, nº 288, Setor Sul, Prédio Sec. Mun. de Educação, 2º andar
Goianésia - Goiás
Cep: 76.380-000
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h