» Partos normais em detrimento dos partos cesáreos

1 - O projeto

A pesquisa será desenvolvida pela acadêmica do curso de Medicina Sâmara Huang Bastos, sob a supervisão da professora Ana Paula Fontana.
Será adotada a metodologia mista, ou seja, haverá um levantamento bibliográfico, utilizando material publicado em livros, artigos científicos e estudo de campo, transversal, retrospectivo, de abordagem quantitativa e qualitativa, a ser realizada com base em prontuários médicos documentados das parturientes atendidas nos últimos 2 anos e posterior análise estatística dos resultados obtidos a respeito da prevalência de partos realizados na maternidade Augusta Bastos em Rio Verde, Goiás. 
A pesquisa será desenvolvida no ano de 2017/2018, com uma visita semanal em horário comercial e previamente agendado com a instituição, até que seja atingida a meta de 300 prontuários, ressaltando-se que estes jamais sairão da unidade de saúde e somente serão verificados os dados relevantes ao estudo. Posterior a análise, os mesmos serão guardados/arquivados em local de origem.
 
2 - Objetivos

Os principais objetivos do presente estudo são identificar a prevalência de partos normais e cesarianos nos últimos dois anos na Maternidade Augusta Bastos, em Rio Verde, Goiás, através do levantamento da prevalência de partos normais e cesarianas a partir de históricos dos últimos dois anos da unidade e buscar conhecer o perfil das mulheres avaliadas através da análise das consultas realizadas.
 
3 - Resultados esperados
 
Devido ao que é preconizado pelo Ministério da Saúde, onde se objetiva a prevalência de partos normais em comparação aos partos cesáreos, acredita-se que as gestantes e puérperas usuárias do serviço de saúde pública de Rio Verde, são induzidas à realização do parto normal.
Acredita-se que grande parte delas inicia o acompanhamento do pré-natal tardiamente e realiza menos consultas que o recomendado pelo Ministério da Saúde por dificuldade para agendar as consultas, realização tardia do diagnóstico da gravidez, falta de conhecimento sobre seus reais benefícios, dificuldades de acesso aos serviços, entre outras.
Vários fatores devem ser levados em consideração para a escolha do tipo de parto; entre elas estão à idade da parturiente, a quantidade e tipos de partos realizados anteriormente, intervalo interpartal e riscos de complicações. Através da presente pesquisa, pretende-se também evidenciar os pontos deficitários da saúde pública quanto aos atendimento pré-natal e demonstrar se há estímulo ao parto natural.
 
4 - Contribuições e reflexões do projeto

O momento do parto é o mais aguardado pelas gestantes e sua boa condução é dever dos profissionais de saúde envolvidos, principalmente o obstetra. Ocorre que para se chegar a decisão de como será o parto são necessários acompanhamento médico regular e informações adequadas e capacitadas. Através da análise dos prontuários das parturientes é possível verificar se foram realizadas todas as consultas preconizadas pelo Ministério da Saúde, de modo a garantir a mais completa assistência.
O levantamento de dados a que este projeto se propõe a realizar pode contribuir para orientar futuras políticas públicas relacionadas a área da obstetrícia e, principalmente, guiar as os profissionais de saúde que trabalham na Maternidade Augusta Bastos, evidenciando onde é possível melhorar o atendimento. 

NOSSOS CAMPUS
Campus Rio Verde
Fazenda Fontes do Saber,
Caixa Postal 104
Cep: 75901-970 - Rio Verde - Goiás Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h - 19h às 22h
Campus Aparecida
Avenida das Palmeiras, chácaras 26 E 27,
Jardim dos Buritis
CEP: 74923-590
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h

Campus Caiapônia
Av. Ministro João Alberto, 310,
Nova Caiapônia, CEP: 75.850-000
Caiapônia - Goiás
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h - 19h às 22h
Campus Goianésia
Rua 12, nº 288, Setor Sul, Prédio Sec. Mun. de Educação, 2º andar
Goianésia - Goiás
Cep: 76.380-000
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h