» Determinação de Agregados do Solo em área com adubação de dejeto suíno

    

1- O projeto

O projeto é realizado pelo acadêmico Lucas Cambuí Brunetta, estudante do sexto período da Faculdade de Agronomia, bolsista de iniciação científica UniRV, sob orientação do Professor Gustavo André Simon, tendo como proposta, em parceria com a iniciativa privada, a avaliação da adaptação de novas tecnologias desenvolvidas, mais especificamente, novos genótipos de soja convencional, quando cultivados nas condições ambientais de Santa Helena, e desta forma possibilitar que seja disponibilizado aos agricultores, opções de cultivares convencionais para cultivo, como opção que proporciona maior rentabilidade econômica.

2- Objetivos 

Principal: Avaliar a estrutura do solo através do tamanho e estabilidade de agregados em área sob plantio direto com adição de dejetos suínos. Específicos: Coleta de agregados do solo (> 4,00 mm e < 7,0 mm) na profundidade 0 até 100 cm em parcelas experimentais com contrastes de doses de dejetos suínos (0, 25, 50, 75 e 100 m3.ha-1).
- Fracionamento de agregados do solo em diferentes tamanhos (2, 1, 0,5, 0,25 e 0,125 mm) das amostras coletadas em campo.
- Determinação do teor de matéria orgânica das frações de agregados 1, 0,5 e 0,125 mm. 

3- Resultados esperados

Espera-se que a aplicação de dejetos suínos por 16 anos venha contribuindo para promover melhor estruturação do solo com teores de matéria orgânica para fins de conservação do solo. Além disso, espera-se detectar a dose de esterco suíno aplicada que mais contribui para a preservação do carbono no solo e consequentemente melhor estruturação física do perfil, e com isso, auxiliar na recomendação de dose visando otimizar o uso do fertilizante orgânico, bem como como a diminuição de custos com adubos e mão-de-obra.

4- Contribuições e reflexões do projeto

Observa-se que a contribuição da adição de DLS pode ser favorável aos agregados do solo se adicionados em quantidade adequada, pois a sua utilização em altas doses nem sempre refletirá em melhores resultados para qualidade do solo. Estudos ressaltam a importância da MOS com o objetivo de melhorar e até mesmo manter a propriedades físico-química e biológicas de determinado tipo de solo.
 
 

 

 

 

 

 


NOSSOS CAMPUS
Campus Rio Verde
Fazenda Fontes do Saber,
Caixa Postal 104
Cep: 75901-970 - Rio Verde - Goiás Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h - 19h às 22h
Campus Aparecida
Avenida das Palmeiras, chácaras 26 E 27,
Jardim dos Buritis
CEP: 74923-590
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h

Campus Caiapônia
Av. Ministro João Alberto, 310,
Nova Caiapônia, CEP: 75.850-000
Caiapônia - Goiás
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h - 19h às 22h
Campus Goianésia
Rua 12, nº 288, Setor Sul, Prédio Sec. Mun. de Educação, 2º andar
Goianésia - Goiás
Cep: 76.380-000
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h