» Estudo experimental empregando carvão ativado e banho finito para tratamento de águas sintéticas

 

1. O projeto
 
O projeto é realizado pela acadêmica do 8° período da Faculdade de Engenharia Ambiental da Universidade de Rio Verde – UniRV, Nadine Pereira Merlo, sob a orientação da professora Drc. Nattácia Rodrigues de Araujo Felipe Rocha e propõe-se executar um experimento que utiliza carvão ativado como material adsorvente para reduzir a concentração de surfactantes (LAS e Betaína) em águas residuais sintéticas de processos de lavagem, dessa forma o descarte desse efluente pode ser feito de forma a minimizar o impacto ambiental gerado pela utilização de tensoativos nos produtos de limpeza. Surfactantes ou tensoativos são substâncias utilizadas para limpeza em geral, pois conseguem “envolver” sujeira e retirá-la junto com a água, através de um processo chamado emulsificação. 
 
2. Objetivos

Geral: Estimar a eficácia de reator banho finito e carvão ativado de granulometrias variadas na remoção de uma mistura do tensoativo aniônico laurilsulfato de sódio ao co-tensoativo coco amido propril betaína em água residual sintética. Específicos: Verificar a influência do tempo de agitação (TA) e das rotações (200, 400 e 600 rpm) na redução do teor de tensoativos contidos na mistura. Avaliar a influência do tempo de decantação (TD) na remoção da mistura LAS+betaína. Selecionar a melhor granulometria de carvão ativado usado no tratamento da água residual sintética.

3. Resultados esperados
Geral: Estimar a eficácia de reator banho finito e carvão ativado de granulometrias variadas na remoção de uma mistura do tensoativo aniônico laurilsulfato de sódio ao co-tensoativo coco amido propril betaína em água residual sintética. Específicos: Verificar a influência do tempo de agitação (TA) e das rotações (200, 400 e 600 rpm) na redução do teor de tensoativos contidos na mistura. Avaliar a influência do tempo de decantação (TD) na remoção da mistura LAS+betaína. Selecionar a melhor granulometria de carvão ativado usado no tratamento da água residual sintética.

4. Contribuições e reflexões do projeto

Por meio do método de purificação de água residual sintética utilizado nesse projeto, é iminente colaborar de modo efetivo com o controle da emissão de poluentes nos mananciais, preservando assim o meio ambiente.

 


NOSSOS CAMPUS
Campus Rio Verde
Fazenda Fontes do Saber,
Caixa Postal 104
Cep: 75901-970 - Rio Verde - Goiás Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h - 19h às 22h
Campus Aparecida
Avenida das Palmeiras, chácaras 26 E 27,
Jardim dos Buritis
CEP: 74923-590
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h

Campus Caiapônia
Av. Ministro João Alberto, 310,
Nova Caiapônia, CEP: 75.850-000
Caiapônia - Goiás
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h - 19h às 22h
Campus Goianésia
Rua 12, nº 288, Setor Sul, Prédio Sec. Mun. de Educação, 2º andar
Goianésia - Goiás
Cep: 76.380-000
Atendimento:
7h às 11h - 13h às 17h